SPIDER 1

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Zé Dirceu volta a ser consultor de deputados e propõe contra-golpe

Foto: Marcello Casal/ Agência Brasil
Foto: Marcello Casal/ Agência Brasil

Cena 1
Em entrevista à emissora de televisão “TRT World”, da Turquia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a realização de eleições diretas para a Presidência da República como a melhor saída para o Brasil neste momento. “O que é que o povo imaginava? O povo imaginava que se você tirasse a Dilma, você ia ter a escolha de um outro presidente pela via direita. E é isso que nós achamos que deve acontecer. O Brasil não pode ficar mais 2017, mais 2018, nesta situação como está, com um presidente rejeitado como o Temer é”, disse Lula; “Eu acho que a melhor solução agora é os partidos políticos conversarem e, quem sabe uma PEC, uma emenda constitucional, e recuperar o direito do povo escolher seu Presidente da República outra vez pelo voto direto”.
Cena 2
Uma ação no Supremo Tribunal Federal pode garantir aos brasileiros o direito de votar para presidente em 2017, caso a chapa Dilma-Temer seja cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral.
A ação é relatada pelo ministro Luis Roberto Barroso, que já liberou seu voto, ainda desconhecido, para julgamento pelo plenário.
Ou seja: se Temer cair, mesmo que um Congresso com mais de 200 parlamentares investigados queira eleger o próximo presidente, o STF reescreve.
A Mariana Schreiber, da BBC, informa: Como o ministro relator da causa, Luís Roberto Barroso, já liberou a ação, basta uma decisão da presidente do STF, Carmén Lúcia, para que o Supremo analise a questão. A Corte entrou em recesso nesta semana e retorna ao trabalho em fevereiro.
A ação vem tramitando no Supremo sem alarde e seu potencial de provocar eleições diretas tem sido ignorado. Por enquanto, prevalece em Brasília a percepção de que, caso Temer seja destituído pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), seria necessário aprovar uma PEC (proposta de emenda constitucional) para viabilizar eleições diretas no país. A base de Temer, porém, tem bloqueado essa discussão no Congresso.
Cena 3:
Os quase 200 parlamentares a constarem da delação premiada de Eduardo Cunha, por ora, encontraram a seguinte solução: aconselhamento de José Dirceu, apurou este blog.
Em seus escritos da cárcere, como Gramsci, Dirceu elabora um, digamos, “ante-projeto” de como criar um contra-golpe. Algumas percepções de Dirceu:
–Lula não vai pra cadeia por conta da idade
–Uma eventual prisão de Lula mandaria para rua, sob comando, pelo menos dez milhões de petistas
–Sérgio Moro teme (sic) que isso aconteça, ainda no entender de Dirceu.
Solução: um golpe para conter a Lava Jato de uma vez por todas.
Como seria isso? Não se sabe…
Petistas do núcleo duro me dizem: depende se Marcelo Odebrecht revelar, ou não, que Lula iria ser contratado pela construtora , como consultor internacional/ propagandista oficial, para poder lavar a grana que a Odebrecht lhe deu…
Fonte: Cláudio Tognolli

Nenhum comentário:

Postar um comentário